eu não gostava de comprar livros usados

by - abril 04, 2021


se há algo que eu gosto de comprar são livros. ler faz parte da minha vida há anos e ao adentrar de fato nesse universo eu comecei a sonhar com aquelas enormes bibliotecas e coleções, estantes e mais estantes. bem, eu de fato gosto de ter livros e gosto de adquirir os que almejo, mas vejo que minha visão teve suas alterações com o tempo.

no início eu sempre via aquelas pessoas que possuem muitos livros parados e queria ser assim. eu quase pensava que era regra de uma leitora de verdade ter muita e muita coisa para ler e nunca conseguir, por chegar mais e mais exemplares a cada mês. eu acho que tudo bem quem vive essa realidade, existem casos e casos, mas eu já vi que não é algo que me deixa tranquila. eu já passei por fases em que realmente não conseguia ler tudo antes de comprar algo novo, e com isso eu falo de, por exemplo, cinco livros não lidos e chegavam mais uns dois. não é tanta coisa assim comparado à maioria, mas eu ficava um pouco angustiada de não ter lido tudo ainda. faz sentido? acho que essas questões variam muito de pessoa para pessoa. 

eu amava ficar olhando promoções nas lojas online, então é claro que eu acabava não resistindo, mesmo que eu tivesse outros parados por aqui. se tem algo que a gente pode fazer para evitar algo assim é não ficar olhando os sites, porque é muito mais difícil resistir depois. 

pois então, eu acaba acumulando, mas em algum momento eu lia. acho que nunca tive de ficar comprando só por ser barato sem nunca ter visto ele, já que normalmente eu pegava algo da minha lista e que já tinha tido algum interesse prévio. eu sonhava com uma coleção grande, bonita e perfeita e acho que aqui entra o que eu queria falar mesmo. 

eu gostava de visualizar algo sem defeito algum. eu amava o livro novinho saindo do plástico, sem uso anterior, sem estrago. eu queria que os meus fossem bem cuidados, sem nada que pudesse atrapalhar isso. é claro que alguns já vinham com defeito de fábrica, mas eu queria evitar o quanto desse. ah, o perfeccionismo... assim sendo, eu não gostava da ideia de comprar livros usados. se fosse para adquirir, por que não uma coisa nova? 

mas quando eu comecei a pensar mais em sustentabilidade, eu mudei completamente minha visão para com objetos de segunda mão, quando passei a ver que não fazia tanto sentido ter algo novo e explorar mais ainda a natureza se eu posso ter algo que já foi produzido e já está aí, e ainda ajudar a pessoa que vende aquilo. se eu entendia que era uma boa ideia ter uma roupa de um brechó, por que não um livro usado? acho que isso só veio nos meus pensamentos no ano passado, quando passei a questionar o meu consumo quanto aos livros também. se formos pensar no impacto, tem toda a questão do papel e árvores e algo novo sempre vai impactar. se eu puder diminuir e fazer essa troca, não seria interessante? 

então passei a buscar essa mudança. hoje eu penso mais se eu quero mesmo aquele livro, se ele desperta o meu interesse, se não é algo impulsivo. dois sites que se tornaram meu local de busca foi o estante virtual e o enjoei. eu procuro nos dois e comparo preço, condições, já que mesmo buscando me desprender da ideia de perfeito eu ainda procuro por algo sem grifos, marcações, rasgos (talvez com o tempo até isso não me incomode mais, porém sigamos no processo). nas minhas experiências eu tive livros que estavam sem sinal algum de uso, enquanto outros tinham manchas de tempo, e é realmente um exercício ir aos poucos entendendo que não há problema algum nisso, afinal, eu tenho livros que eram novos e já estão bem mais marcados pelo tempo! faz parte e está ótimo.

outra coisa que eu pensava é que um produto usado tinha que ser muito mais barato, porém não acontece frequentemente. quanto aos livros, eu costumo pagar praticamente o mesmo valor que eu pagaria em um novo, considerando o frete. antes eu via como um prejuízo não ser mais barato, agora acho que tudo certo, não é necessariamente inferior não ser novo.

nossa mente é marcada por essa perspectiva de que temos que ter sempre mais, sempre novo, sempre sem defeitos. a gente vive nesse mundo consumista e onde máquinas fazem cópias idênticas e sem máculas e é um desafio se desprender disso. eu me propus a ter um hábito diferente do que estava acostumada e me deixa feliz ir caminhando aos poucos. será que precisamos mesmo de tudo que pensamos precisar e no estado que imaginamos? qual é o problema de não ter saído novo de uma loja? 

busque repensar. precisamos sair do automático de costume e olhar tudo com outros olhos. e ao pensar eu também consigo ver situações em que o novo é muito válido, como por exemplo comprar direto do autor independente, ou de uma pequena editora, ou ainda um lançamento. existem casos em que não há a opção de ser usado. eu mesma tenho o hábito de ler uns livros de meditações bíblicas diárias, que adquiro no final do ano para ser lido durante todo o ano seguinte e, por ser lançado naquele período, não tem de segunda mão. não é sobre condenar a compra, mas rever o que significa e se há outras formas. o importante é repensar. 

tudo isso sem contar a história que carrega! pensar que alguém já o teve antes, que ele já passou por outras mãos, outra estante ou qualquer que fosse o local em que era posto. qual terá sido a experiência? será que não gostou da história, não chegou a ler, apenas não era mais do seu gosto? há tanto a ser imaginado! me lembro quando a Anne compra aquele colar para a Diana em Anne with an e e diz que algo quebrado é romântico por tudo que já deve ter vivido (acho que foi isso mesmo que ela disse, se não me falha a memória). acho essa visão tão linda de se adotar!

sinto que essa conversa tem muito para ir além. se tiverem uma opinião ou outro ponto para tratar eu vou adorar saber. os comentários que recebo por aqui sempre me ensinam demais!

abraços, 
Any.

You May Also Like

4 comentários

  1. Muito interessante essa sua reflexão sobre comprar livros usados e acho que se encaixa muito bem em diversos objetos e itens.
    Eu mesma confesso que tenho esse um pouco desse pensamento de 'por que comprar usado se posso comprar um novo com o mesmo valor?' mas sei que é preciso mudar ou apenas tentar a ver isso de forma diferente.

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é algo que de fato se aplica a vários outros itens e vou tentando fazer isso.
      eu pensava demais dessa maneira e é algo que está no nosso pensamento mesmo, é muito presente e comum. o importante é irmos refletindo e olhando por outro ângulo as nossas atitudes. aos poucos vamos revendo o que faz ou não sentido em nossa realidade particular.

      obrigada pelo comentário, Val ♡

      Excluir
  2. Oi Any!
    Como eu moro na Finlândia, a possibilidade de livros em portugues são zero. Quero dizer, da última vez que fui ao Br trouxe alguns da minha coleção que deixei quando mudei pra cá e alguns novos. Assim como quando minha mãe me manda caixa de comidas, peço para ela acrescentar um livro ou outro que já tinha.
    O que tem me salvado são os pdf's.
    Minha segunda opção é ler em inglês - óbviamente os livros em ingles aqui são caríssimos já que não é o idioma official >< então me sinto uma ganhadora na loteria quando alguem vende no marketplace livros usados. Esses dias comprei 18 livros da mesma pessoa por 6 euros, um mês depois ela me ofereceu mais 8 livros por 4 euros. Já achei coleções completas para doação como do Crepúsculo. E assim tenho minha pequena biblioteca com livros usados.

    Na minha mente, mesmo que o valor do livro usado e o frete seja quase o valor do livro novo, você está sendo consciente e não consumindo mais coisas novas!

    Adorei o post e passarei por aqui mais vezes.
    Beijão,
    Bela
    A Bela, não a Fera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Bela!
      Você não imagina o quanto tô me sentindo internacional ao saber que você mora na Finlândia, sério, fiquei impressionada!
      Nossa, eu imagino como deve ser complicado para você encontrar livros que consiga ler. Realmente essas ocasiões em que sua mãe te envia algo ou quando alguém vende os usados são preciosas. Essa pessoa dos livros foi um achado e tanto!
      Sinto daqui como essa biblioteca é especial, além de que é uma raridade se formos pensar na Finlândia inteira.
      As versões digitais também estão aí para te ajudar, ainda bem.

      E exatamente, vale muito a pena trocar o novo pelo usado, é algo incrível ☆

      E eu amei o teu comentário ♡ obrigada por estar aqui e seja muito bem vinda!
      Abraços.

      Excluir